Se você pensa que a cebola seja um alimento fácil de cozinhar, está com certeza errado e precisa de uma boa rebobinada ao fogão: primeiro, porque cada tipo de cebola necessita de uma técnica culinária diferente. Cada variedade, de fato, é caracterizada por um gosto ligeiramente diferente uma da outra: é por isso que há algumas cebolas que são mais adequadas para algumas preparações e outras cebolas que são recomendadas especialmente para outras. As diferenças vão muito além da superfície: como é possível notar removendo a casca.

1- A cebola amarela, por exemplo, é caracterizada por um sabor mais forte. Em geral, pode-se dizer que esta variedade de cebola representa a melhor escolha para a maioria dos pratos, especialmente se você quiser tentar a caramelização, já que é um ingrediente que possui um alto teor de açúcar natural. Para usá-lo de forma eficiente, você deve remover a casca e cortá-la ao meio e, em seguida, cortar cada uma das duas metades em longas fatias.

2- CEBOLA ROXA

Quanto a cebola roxa, o conselho é prová-la crua, assim como é: em conclusão, não há necessidade de cozinhá-la. Precisamente por esta razão costuma ser usada em sanduíches, em cachorros-quentes ou hambúrgueres ao natural, mas, é claro, também pode ser empregada para uma salada saborosa e nutritiva. O teor de açúcar é menor do que o da cebola amarela, mas o que é mais importante é a presença de anti-oxidantes, substâncias que – como todo mundo sabe – fornecem uma valiosa ajuda para combater o câncer. Para usar a cebola roxa é bom cortá-la ao meio na horizontal, e depois obter uns anéis.

CEBOLA BRANCA

Outro tipo de cebola é aquela branca, que se destaca e é apreciada pela sua crocância: você pode usar esse ingrediente para pratos um pouco mais substanciais e pesados. Usado principalmente na culinária mexicana, é recomendada para pizza e possui uma propriedade anti-inflamatória muito importante. Você pode cortá-las em fatias finas, compridas.

4- CEBOLA DOCE

Na cozinha, você tém que lidar também com a cebola doce, que em muitos aspectos se assemelha à amarela: para distinguir os dois tipos, você tém que manter em mente que aquela doce tem uma casca que tende mais para o laranja do que aquela amarela. O sabor é bastante leve, razão pela qual você pode escolher de comê-la crua, sem medo de problemas digestivos. Além disso, é um ingrediente que tem um teor de água significativo: portanto é possível usá-la para a preparação de molhos e condimentos.

5- CEBOLINHA VERDE

A cebolinha verde é o produto que não pode faltar sem se você quiser tornar o frango mais saboroso. A carne branca, de fato, é reforçada por este ingrediente, fácil de distinguir por sua conformação mais alongada: também conhecida sob o nome de cebolinha-francesa, pode ser servido crua ou cozida, mas também preparada com óleo ou vinagre. A parte verde é nada mais do que o caule da planta bulbacea: aproveite a oportunidade para desabafar sua criatividade e a sua imaginação na cozinha.

6- CHALOTA

O último tipo de cebola que você deve conhecer é a chalota: sua forma, para ser honesto, lembra mais aquela de uma amêndoa, enquanto a casca tém uma cor que varia do rosa ao ouro. O sabor é doce e forte ao mesmo tempo: você pode escolher a chalota para uma salada ou para qualquer outro tipo de tempero. Tenha em mente que o seu preço é um pouco maior do que as outras cebolas, mas vale a pena gastar um pouco mais por um produto saudável e saboroso. Somente lembre-se de cortar as pontas!